domingo, 24 de março de 2013

Daniel na cova dos leões


Aquele gosto amargo do teu corpo/Ficou na minha boca por mais tempo/De amargo, então, salgado ficou doce/Assim que o teu cheiro forte e lento/Fez casa nos meus braços e ainda leve/Forte, cego e tenso, fez saber/Que ainda era muito, e muito pouco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário