domingo, 27 de abril de 2014

Tempestade (Parte II)

Atravesso contigo sua própria tempestade, procuro ser teu guia, mas possuo meu próprio furacão. Perdemo-nos, assim, diversas vezes de todo o caminho.
Contudo, com tua tempestade de olhos castanhos eu sei lidar mais do que já soube de qualquer outra coisa.
Entretanto, a tempestade que chega de fora, dos outros, é o que verdadeiramente me assusta.
Num instante, tudo é neblina. Misturam-se meu furacão e tua tempestade, junto com a energia ruim de outros que nos atingem.
Sei que minhas confusões são difíceis de interpretar, mas tu tens que enxerger com o coração, e verás como me sinto e porque ajo assim.
Meu coração bate intensamente por ti, e mal posso segurá-lo no peito; o tempo todo estás em minha mente, e prefiro a sinceridade do que a ocultação, por mais que tu não entendas.
A verdadeira felicidade é estar contigo no meio de toda nossa confusão, conversas noturnas que trazem luz à nossas tempestades.
A verdadeira felicidade é o teu sorriso dirigido somente a mim, e mais ninguém.
Pois saibas que sou eternamente tua, e és eternamente meu.

Palavras

Palavras cortantes
Não necessariamente mutantes
Quiçá grandes
Porém machucam
Profundamente em instantes
Atingem o coração
Ainda que não
Despedaçado
Mas ferido.